quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Judô

Postado por Julianna Barroso às 15:50 0 comentários


14 de setembro a Alice iniciou no judô.
Há algum tempo abriu uma academia na minha rua com artes marciais e há menos tempo ainda a Alice iniciou uma paquera com as aulas de judo. Até que um dia surgiu o convite e ela fez uma aula experimental. Depois disso não parou mais. O amor está mais consciente, pois ela conhece mais e cada dia que passa ela gosta mais e se interessa em aprender mais.
O que ela gosta mais?
Ela gosta de tudo, mas o que ela tem mais atração é uma corda que ela sobe até o teto. rsrsrs Desafio a cada aula.
video

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Voltamos às Aulas

Postado por Julianna Barroso às 16:03 0 comentários

A volta às aulas foi tranquila.
Deu pra aproveitar o finalzinho das férias de montão.
Fomos para o cinema mais uma vez (Procurando Dory), fomos ao circo (Le Cirque Amar), a Gaby ficou um final de semana lá em casa, fomos a um evento chamado "Costume Saudável", no qual a Alice brincou de aprender a andar de skete. Ela foi à praia. Enfim, Foi super!!!




terça-feira, 19 de julho de 2016

C I N E M A ! ! !

Postado por Julianna Barroso às 08:41 0 comentários
As férias não estão as melhores das nossas vidas, mas deu pra ir no cinema. Fomos ver "Carrossel 2". A Ana Sofia foi conosco e foi bom demais! Ela é mais nova que a Alice, tem 5. Mas, não deu trabalho em momento nenhum. Uma mocinha bem educada e muito doce. Vamos ver se amanhã dá pra repetir a dose com "Procurando Dory".



segunda-feira, 18 de julho de 2016

Férias, um desafio a cada ano.

Postado por Julianna Barroso às 00:20 0 comentários

Neste sábado fomos dar uma volta na praia. Alice está de férias e tenho quee virar em passeios que não pesem no bolso. Fomos andar de patins. Há muito, muito tempo mesmo eu não andava de patins. E eu sabia andar até bem. Mas, a física não perdoa e mais de 20kg a mais muda o ponto de equilíbrio de qualquer um. Resultado, não consegui andar.
Mas, Alice andou, batemos fotos, enfim, apesar do fiasco, nos divertimos.
Vou adicionar mais um item na lista de incentivo para emagrecer.
Chateada?! Um pouco. Mas, passa.


quinta-feira, 14 de julho de 2016

Sete anos: idade da razão

Postado por Julianna Barroso às 15:42 0 comentários
Alice está mais adulta do que eu esperava...
Ela está tomando grande proporções do que passa na vida dela.
Está triste por não conhecer o pai e diz que tem muitos pesadelos.
Vou levá-la numa psicóloga. Espero que a ajude.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Educação das crianças: erros mais comuns

Postado por Julianna Barroso às 09:32 0 comentários

Os pais sempre querem acertar no que diz respeito a educação de seus pimpolhos, mas a realidade as vezes nos desvia do foco e acabamos errando, quando pensamos estar fazendo o certo. 
Procuro ler sempre artigos sobre forma de educar para lembrar a forma correta de agir ou para conferir se estou dando uma escorregada e cometendo errinhos. 
Um site muito legal, que eu visito sempre procurando novidades é o Guia do Bebê.
Hoje achei um artigo ótimo e resolvi compartilhar por aqui. 

Educação na infância: erros mais comuns

Qual papai ou mamãe nunca parou diante de seu filho e já se perguntou: "Onde foi que eu errei?". Malcriações, birras e manipulações de crianças são atitudes que normalmente levam os pais a fazerem tal pergunta.
Não se desespere, afinal educar não é fácil. Mas também não é um bicho papão. Aprendemos com os erros e quanto mais cedo a falha for identificada, mais fácil de se evitar conflitos entre pais e filhos.
Existem alguns erros na hora de educar os filhos que parecem bobos, mas que se reforçados e repetidos são capazes de prejudicar o desenvolvimento da criança, mesmo que a intenção dos pais seja a melhor.
Começando pela alimentação que é uma das principais queixas dos pais. "Meu filho não come", "Tenho que ficar correndo atrás do meu filho para que ele coma" são frases bastante ouvidas pelos pais. Para evitar esse aborrecimento atitudes simples podem ser realizadas desde cedo.
Nada de aviãozinho, televisão ou barganha para que a criança coma. A criança deve entender que sem a comida poderá ficar fraca, com fome e até doente. Qualquer atitude que faça com que a criança coma sem prestar atenção na comida é ruim.
A alimentação deve ser colorida, diversificada e balanceada para a criança não enjoar e aprender a comer de tudo e assim evitar qualquer distúrbio alimentar, como obesidade, bulimia ou anorexia.
Mimar demais a criança não é bom - Outro velho excesso praticado pelos pais: fazer tudo pela criança, mesmo tarefas que já pode realizar sozinha, superprotegendo o filho, é prejudicial ao desenvolvimento social.
Normalmente essas crianças crescem se achando o centro do mundo, mandando e desmandando em tudo e exigindo até o que deve ser feito no jantar. Não conseguem se adaptar na escola, sentem-se inseguros e tornam-se inseguros e irresponsáveis justamente porque nesse lugar ele será apenas mais um, e não o dono do pedaço.
Saiba dizer "não" e dê bronca quando realmente for preciso.
Outro erro comum é negar a dor da criança. Quando a criança rala o joelho numa brincadeira a mamãe com toda boa intenção do mundo tenta amenizar a dor dizendo: "Não foi nada, já passou".
Fazendo assim, a criança acha que os pais não se sensibilizam a sua dor e tendem a procurar uma outra pessoa, deixando uma mágoa. Ou então, se for excessiva essa atitude dos pais a criança fica insegura aos seus sentimentos não entendendo se sente dor, raiva ou medo já que seus pais dizem que não é nada.
Quando os pais chamam a quina da estante de boba quando a criança bate com a cabeça é tirar da criança a responsabilidade de cuidados consigo mesma e colocar a culpa no objeto. Isso pode colocar a vida da criança em risco em situações mais graves. Quando ocorrer novamente o incidente, converse sobre a importância de se evitar acidentes e dos cuidados que a própria criança deve ter.
Deixar o filho ganhar constantemente um jogo só para não vê-lo frustrado com a perda já que não tem a mesma capacidade que a sua faz com que a criança aprenda que a vida é só ganhar. O jogo faz com que a criança espere a sua vez, aceite regras e limites impostas, aprenda a negociar e aceite que a vida é feita de ganhos e perdas.
E a máxima da educação é o exemplo. A criança aprende com exemplos de quem ela confia que são os pais. Se os pais não têm boas maneiras, não pedem, por favor, não dizem obrigado ou bom dia, comem assistindo televisão ou brigam muito passam esses valores para a criança e é isso que irá fazer. Os filhos são o espelho dos pais.
Dicas
Não critique ou elogie demais o seu filho. Tanto um como o outro é prejudicial. O bom senso é a melhor medida.
Não se culpe pelo erro, filho não vem com manual de instruções. Só não insista no erro já detectado.
Na dúvida, procure sempre um especialista para te orientar.
Bruno Rodrigues

Super, né!  Vale muito a pena ler!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Na casa da Lara

Postado por Julianna Barroso às 12:16 0 comentários
Alice foi passear, sozinha. Foi pra casa de uma coleguinha da escola. Vou pegá-la só depois do trabalho. Deixei ela na escola hoje depois de mil e uma recomendações. rsrsrs. Fiz ela repetir cada uma delas...

  • Alice, não mexa em nada! Se quiser ver algo como é que olha? - Com os olhos, mãe. -Isso!
  • Alice, não vai pedir nada. Se a Tia Lu oferecer e você quiser, aceite, mas não peça.
  • Alice, não desobedeça a Tia Lu. O que ela disser, faça.
  • Alice, quando for trocar de roupa, dobre direitinho e coloque logo na mochila. 
  • Alice, não fique gritando. Falar baixinho que é educado.
  • Alice, não vai discutir com a Lara. Pode dizer o que pensa, mas sem brigar, tá!?
Peguei pesado? rsrsrs
Em geral ela é muito educada, mas não custa lembrar. 

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Feliz Carnaval!!!

Postado por Julianna Barroso às 11:35 0 comentários

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

A Boa Mãe

Postado por Julianna Barroso às 10:24 0 comentários





“A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase, e ela sempre me soou estranha. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa,
protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara.

Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária. Antes que alguma mãe apressada me acuse de desamor, explico o que significa isso.
Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho.

Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.

Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão.

Ao aprendermos a ser “desnecessários”, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar."



"Dê a quem você Ama:
- Asas para voar...
- Raízes para voltar...
- Motivos para ficar...”
                   (Dalai Lama)



Não sei de quem é esse texto, mas tento, de todo meu coração ser como essa mãe, que prepara o filho pra vida e não pra si.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

O grande vilão!

Postado por Julianna Barroso às 14:07 1 comentários
As vezes eu paro e fico me perguntando se não estou sendo muito rígida com a Alice proibindo "n" coisas que todos comem e acham delícia e ela fica querendo e eu controlando, tipo picolé, chocolate, biscoito, achocolatado, bala, bombons, sorvete. Ela já tá se acostumando, pois tudo que oferecem a ela, ela vem me perguntar se pode, mas não está convencida disso.
No entanto, quando eu vejo videos tipo esse eu logo tiro esses "remorsos" da cabeça. Afinal eu não posso me culpar por querer bem a minha filha, né. Se dissesse que não há outras opções... mas há! Quem quiser pode ter uma alimentação mais saudável. Basta um pouco de informação e esforço.

 

Vamos fazer essa tentativa, de realmente cortar ao menos 50% das coisas que fazem mal. A saúde do seu filho agradece, e a sua também!
Vou mostrar um bom exemplo de uma familia que mudou o hábito alimentar e tá conseguindo!
Visitem o blog Criança Saudável.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Geração ILUSÃO

Postado por Julianna Barroso às 13:48 0 comentários


É verdade que tudo que fazemos é na mais certa vontade de fazer o bem para nossos filhos, mas o que está se formando é uma geração que tem tudo nas mãos, que não se frustra, que não faz esforço para conseguir o que quer e que cresce com uma promessa de felicidade certa. Precisamos deixá-los tentar e quebrar a cara. Pra uma mãe, muitas vezes isso é inconcebível. Como deixar seu filho sofrer? Como permitir que ele fracasse, se você pode ajudá-lo. Mas a vida da gente tem frustrações que não podemos evitar. Daí, serão os que já lideram com esse sentimento que vão ter mais chance de vencer.



Pais que "ajudam" sempre os filhos dão uma falsa impressão de que ele pode tudo e que a vida lhe abrirá todas as portas sem qualquer esforço da parte deles. Esses mesmos pais tendem a camuflar ou até esconder suas próprias dificuldades. "Cest la vie en rose", a vida em rosa, onde tudo é mágico e alcançável.  
Um "não", "faz você" pode ajudar mais do que você imagina. Vamos evitar que nossos filhos sofram os deixando sofrer, para que eles saibam lidar com isso quando tiverem seus próprios lares.



Li um texto muito bom a respeito disso e quem não tiver preguiça e dispor de um tempinho pra ler, recomendo demais!

Ele é da Eliane Brum (colunista da revista CRESCER)
=*


quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Primeira vez (2)

Postado por Julianna Barroso às 11:28 0 comentários


Minha princesa enfim teve sua aula de ballet, tão sonhada. Nem preciso dizer que todo assunto da semana gira em torno disso, né. 

=)

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Primeira vez

Postado por Julianna Barroso às 21:07 0 comentários


Hoje na escola da Lili foi um dia bem especial. Era dia de levar bicicleta pra escola, mas a Lili não tem bicicleta. Seu novo amigo, super legal, chamado Isaias, lhe emprestou a bike dele para ela tentar andar sem rodinhas. Ela treinou, treinou e treinou... e conseguiuuuu!!! Lili andou pela primeira vez de bicicleta sem rodinhas. Cheguei lá ela estava radiante de felicidade. A professora disse que ela falou para todos da escola. E no caminho nós combinamos contar para todos vocês. Afinal, partilhar momentos felizes é tudo de bom. A única coisa que eu fiquei triste foi que eu não filmei, nem fotografei, mas tudo bem. Vai ficar no coraçãozinho dela para sempre essa emoção, assim como até hoje eu trago no meu. Ela tá aqui dizendo que foi o dia mais legal do mundo todo.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Assim nasce uma mãe...

Postado por Julianna Barroso às 22:08 0 comentários

Como sempre, toda a história surgiu no caminho entre a descida do ônibus e nossa casa.
Encontrei uma vizinha que me parou e perguntou por toda familia. (Fazia tempo que não nos falávamos) Logo que a deixamos Alice me perguntou:
-Mãe, a Tita é tua irmã?
Diminuí até o passo, pois sabia que aí vinha coisa... rsrsrsrs
-É sim, amor!
-E o Tito, também é? - com a mesma expressão curiosa.
-É! Por que pergunta?
...
-Mãe, quando crescer quero ter dois filhos - meu sorriso se abriu, olha com o que ela já pensa, - um menino e uma menina.
E sem me dar tempo de comentar, continua.
-O menino vai ser Gabriel. Acho lindo esse nome! Você gosta mãe?
-Lindo meu amor!
Pensei comigo, que se ela fosse menino, seria esse seu nome.
-E a menina eu não sei. Gosto de tantos nomes que é difícil dizer um. Não! Já Sei! Larissa. Gosto muito de Larissa. Você gosta mãe? - Olhando pra mim, buscando uma aprovação.
-Gosto... - nem deu tempo de falar mais nada.
-Mas,... acho que vou ter três. Três filhos! Duas meninas e um menino. Como ´é mesmo o nome que eu disse mãe?
-Gabriel e Larissa.
-É! E a outra é Patricia. Elas vão ser gêmeas.
Pense no susto, nessa hora!
-Gemeas? - pensei em explicar que gemeos não vem quando a gente quer, que tem que ter herança genética, etc, etc..., mas não quis interromper o planejamento familiar que se seguia.
-É! Mas a Larissa vai nascer primeiro, depois o Gabriel e por último a Patricia.
Aí eu tive que intervir...
-Não pode assim, Lili. Gemeos tem que nascer juntos, da mesma barriga. (pode ser que futuramente esteja diferente, mas vamos aprender o que é natural)
-Então o menino nasce primeiro e depois de uns cinco anos eu tenho as gêmeas. Assim ele vai me ajudar nas coisas com as irmãs.
-O que ele vai fazer? Trocar fralda?
-Não! Isso é muito difícil. Ele vai pegar a toalha, dar a chupeta quando elas chorarem, brincar enquanto eu tiver ocupada.
Nem sei se eu tava acreditando no que eu ouvia. Isso é jeito de falar de menina de 5 anos???
-Mãe, mas se eu esquecer tudo isso, você me lembra quando eu tiver 12 anos.
O que eu poderia dizer? Ainda bem que chegamos em casa e sua maior preocupação passou a ser o jantar.
Ela ainda é meu bebê...


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Pintora, veterinária, cozinheira, compositora, poeta... O que ela vai ser?

Postado por Julianna Barroso às 09:46 0 comentários
Alice desde ontem está inspirada! 
Hoje ela estava cantando as músicas que ela mesmo inventa. E é de "Faroeste Caboclo" pra lá, de tão longas. Usa rima, faz refrão, uma graça. 
Então, em um momento interrompi e disse:
-"Alice, acho que você vai ser é compositora, que é uma pessoa que faz música. E poeta também. Daí você pode até escrever um livro."
-"Então vou ter que tirar uma... (ela tem três "vocações", cozinheira, pintora e veterinária) Acho que vou tirar cozinheira. Mas, mãe, antes eu vou ter que aprender a ler, né! E escrever também!"
-"É sim minha princesa."
... E Alice foi olhando pela janela, pernas cruzadas, mãozinha segurando o queixo, sonhando com a noite de autógrafos do livro que ela vai escrever.
Depois que descemos, ela vem com as conclusões dela...
-"Mãe, a pessoa que faz cinema, é o que?"
-"Cineasta, Lili."
-"Pois vou ser isso também. Mas, primeiro vou escrever o livro, a poesia, fazer a música e depois o filme. Quero ganhar muito dinheiro."
rsrsrsrs
Nossos filhos e seus sonhos. Nisso tudo meu maior sonho é que você seja feliz!



A de ontem a noite...

Aconteceu um pequeno acidente com uma boneca de pano da Alice. Um visitante indesejado roeu todo o pezinho da pobrezinha. Hoje a Alice estava observando e me perguntou:
- "Mãe, minha boneca tá sem o pé. Foi o rato?"
- "Foi meu amor."
- "Foi o mesmo do rei de Roma?"
kkkkkkkkkkkkkkk
Não me aguentei!



Related Posts with Thumbnails
#160