quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Obeso, meu filho???

Postado por Julianna Barroso às 10:17

Sempre tive a preocupação da Alice ficar gordinha, pois tenho problemas com sobrepeso desde a infancia. Assim, desde que ela nasceu que eu tento tomar certos cuidados e seguir dicas que os pediatras aconselham. 

Sabe que eu não entendo essa sociedade, que acha lindo um bebê gordinho cheio de dobrinhas e exige um adulto magro, se possivel, mostrando as costelas. AFFF!!!

A única coisa que eu acho que faço (ainda) com a Alice, que pode engordar é a mamadeira que ela toma pouco antes de dormir, ou já dormindo. No entanto ela está com os dias contados. Estou mantendo enquanto os dentes (que não param nunca de nascer) ainda incomodam. Depois, vou tirando aos poucos.

Achei umas dicas muito boas pra quem não quer ver seu filho, que hoje é lindo e fofinho, virar um adulto com problemas de obesidade. 
 (fonte: http://www.cirurgiadaobesidademorbida.com.br/obesidadeinfantil/obesidade.htm)


Combatendo a Obesidade

Na maioria das vezes, está nas mãos dos pais cuidar para que seus filhos não se tornem adultos obesos. Saiba como ensiná-los a ter uma relação saudável com os alimentos desde cedo.

Amamente seu bebê
Criança amamentada durante os seis primeiros meses (ou pelo menos até os 4 meses) aprende a controlar seu apetite de forma natural e, por causa de sua composição corporal (adquirida com a amamentação), corre menos riscos de se tornar obesa quando adulta.



Evite reforçar demais a mamadeira dos pequenos
A mãe que não consegue amamentar e opta pelas fórmulas infantis, costuma reforçar o leite com farináceos para deixá-lo mais nutritivo. Controle seu ímpeto maternal e, caso seu filho esteja com o peso acima do normal, diminua a quantidade de açúcar ou farinha.

Deixe o açúcar para mais tarde
Durante o desmame evite adoçar os sucos e as papinhas de frutas com mel ou açúcar.

Use a criatividade na cozinha
Crie um cardápio variado, saudável e equilibrado para seu filho e ensine-o a comer em horários pré-determinados.

Não proíba nenhum alimento
Se proibir, você vai transformá-lo na sétima maravilha do mundo para o seu filho. Defina os dias para aqueles que não são muito saudáveis e estabeleça a porção a ser servida, deixando claro que é melhor comer um pouco do que não comer nada.

Desligue a TV
Faça isto principalmente durante as refeições, senão a criança vai comendo, comendo e comendo, sem perceber a quantidade ingerida. Incentive seu filho a trocar a TV por brincadeiras divertidas com os amigos, que envolvam a prática de atividades físicas (como por exemplo apostar corrida, pular corda e jogar futebol).

Separe os alimentos em porções pré-determinadas
Em vez de dar o pacote inteiro de bolacha recheada para a criança, separe uma quantidade, mostre a ela e faça-a entender que ela só terá direito a esta porção. E, de vez em quando, troque a bolacha recheada pela sem recheio.

Ensine seu filho a saborear os alimentos
O primeiro passo é fazer com que ele mastigue bem os alimentos, facilitando a digestão e dando tempo para que seu cérebro mande a mensagem de saciedade. Comendo devagar e saboreando melhor os alimentos, o prazer de um chocolate, por exemplo, pode durar o dobro do tempo.

Olhe para o seu cardápio
Se as suas refeições estão cheias de frituras, refrigerantes e sobremesas calóricas, fica difícil fazer com que a criança entenda o que é (e siga) uma alimentação saudável. Repense seus hábitos alimentares.

Mais variedade e menos quantidade
A criança está treinando seu paladar, então nada melhor do que caprichar na variedade de alimentos na despensa.

Frutas, verduras e legumes desde cedo
Ensine seu filho a comer esses alimentos desde pequeno, pois, além de serem ricos em vitaminas e minerais, possuem grande quantidade de fibra, importante aliada no processo de emagrecimento ou manutenção do peso, pois facilitam a digestão e dão sensação de saciedade.

Diminua a gordura das refeições
Com pequenos truques, dá para diminuir um bocado a gordura da alimentação: grelhe ou asse a carne, em vez de fritar; tire a pele e a gordura das aves antes de prepará-las; substitua a pizza de quatro queijos pela de frango com milho; reduza pela metade a manteiga, a margarina, o óleo e o creme de leite das receitas tradicionais de bolo, biscoitos, purês e molhos; corte de vez óleo, a margarina e a manteiga ao preparar molho de tomate, purê de batata e brigadeiro; descubra os encantos do ovo pochê, aquele preparado na água; troque a salada de maionese por uma de batata cozida e cenoura, e o leite integral pelo semidesnatado nas preparações.

Crie bons hábitos alimentares
Estabeleça horários para as refeições (seis, ao todo), tanto para as principais quanto para os lanches, e não deixe que a criança fique muitas horas seguidas sem comer. Senão, na próxima refeição ela estará ansiosa e faminta e vai ingerir o dobro do que deveria.

Não empanturre seu filho
Crianças em idade pré-escolar têm menos apetite, e muitas mães ficam preocupadas achando que seus filhos não comem direito. Não crie táticas para empanturrá-los. Se ele estiver com saúde, com o peso normal e o pediatra falou para você não se preocupar, evite esse comportamento.

Brincar, correr e pular
Criança que se exercita regularmente, se alimenta melhor e tem menos chances de engordar. O organismo metaboliza de maneira mais satisfatória os nutrientes e queima as calorias que não foram utilizadas com muito mais eficiência.





E agora? Ficou preocupado(a)? Clique aqui pra saber o IMC do seu filho.











1 comentários:

Renata on 4 de setembro de 2010 00:50 disse...

adorei ju...
eu sou um pouco louca com relação a isso pq o Gael nasceu pequeninho, eu sou imensa e meu marido maior ainda e ele ainda é um pitoco... nada de anormal, claro... mas fica néh aquele sensação de olhares de todos acerca do meu pequeno... enfim... to melhorando... aceitando o biotipo dele.. minha mãe disse que eu era igualzinha, que cresci só bem mais tarde... bjão! adorei!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails
#160